Mapeamento Emocional

O Primeiro Artigo do Blog ❤ My First Blog Post

(Este é o artigo em destaque, o primeiro artigo que entrou neste Blog a 05 de Julho de 2017)

Aguardando pelo amor alheio da minha cara metade coloco em pausa a minha vida.

E se dentro de mim existir essa outra metade pronta a apaixonar-se por este corpo, por este riso, pelos momentos mais sérios, por esta timidez?

E se eu quiser apaixonar-me por mim mesma? E acordar deste estado latente e adormecido. Estarei eu preparada para o beijo do meu príncipe encantado? Do meu guardião da consciência?

#Amor Incondicional #Alquimia

Encontra Aqui o Teu Artigo

Welcome New Life

E assim aos poucos aquele princípio que rege o mundo, a Impermanência, está aqui bem juntinho, bem próximo. Aconchegada no nosso colo, pronta a ser recebida, embalada, com as nossas mãos, com o ritmo das curvas dos nossos braços. Algo novo, por estar tão próximo, tão presente, tão físico, tão tocável. E olhamos esta presençaContinue a ler “Welcome New Life”

Allow It

É de pequenas decisões que preenchemos o nosso dia. Agora isto, daqui a pouco aquilo. E é esta a única real força que temos sobre a nossa vida. As nossas decisões. E não quer dizer que estejamos conscientes quando as tomamos. E que tal experimentar-mos algo novo. Por exemplo aquela voz repetida na cabeça, queContinue a ler “Allow It”

Broken

Alguma vez te sentiste partida/o, estilhaçada/o pelo chão? Rendida/o às correntes da vida, que te trazem as evidências de que nada é como supostamente quereríamos que fosse. E que por vezes somos autistas extremosos, convencidos que controlamos o mundo e a Vida. E porque eu quero sofregamente algo que me satisfaça, que me traga paz,Continue a ler “Broken”

Be with Me

O tempo e o espaço parecem estar enlaçados, sem grandes planos a longo termo nem a longa distância. O bairro, a casa, o quarto passou a ser a distância que medimos, um pouco claustrofobicamente. As dimensões passaram de ser medidas a semanas, meses, semestres, existindo agora na unidade do dia, da hora e espantemos-nos doContinue a ler “Be with Me”

Life Commandments

A Vida pede-te que, Só por hoje faças asneira da grossa. É suposto que o faças! Só por hoje engana-te e esquece-te das coisas. És Humano! Só por hoje é permitido libertares a raiva com dois berros, três pratos partidos e 4 portas fora dos eixos. Acontece! Só por hoje lembra-te que a tua menteContinue a ler “Life Commandments”

Our World

Qual é a tua realidade? Que fantasias vivem em nós que nos afastam da realidade? Eu sou capaz de fantasiar imenso com relacionamentos, com um sucesso profissional que valide as minhas capacidades. Em miúda queria uma família diferente, um grupo de amigos que me acolhesse. E muitas vezes apanho-me nessas viagens alucinantes e para mimContinue a ler “Our World”

Stay In

O meu movimento natural é de contracção, de ir dentro, de parar. E a forma como este movimento se expressa é muito simples, começa com um sentimento de tristeza, que surge do nada. Sem nenhuma justificação, nem teia de argumentos, é mesmo do nada que surge. E logo de seguida a presença racional vem eContinue a ler “Stay In”

The Way of Santiago

Quando se percorre o caminho de São Tiago, pela minha experiência, existe uma grande roda de desmultiplicação que surge. Isto porque a nossa definição de tempo e de espaço altera-se. O conceito de correr em direcção a algo deixa de existir, o tempo mede-se em kilometros percorridos e a percorrer, assim 4 km demoram 1Continue a ler “The Way of Santiago”

You never walk alone

E vem aquela miúda mimada, que quer tudo e à maneira dela, e o mundo e as pessoas só existem para a contrariar, e dizer-lhe que nada do que faz é bem feito. E eu estanco-a, ignoro-a, realmente não a quero ouvir. Mas hoje vou-lhe dar voz, vida, ânimo, vou ouvir esta menina que seContinue a ler “You never walk alone”

Make a Change

É para ti normal sentires que o tempo corre, que a tua mente te mantém ocupada(o) com a agenda diária, o ter que fazer? Há aquela sensação no peito de rotação acelerada, num misto de ansiedade e comichão? Tudo para obter uma sensação de dever cumprido, com uma vontade obstinada. Para mim, quando me observoContinue a ler “Make a Change”

Mind blowing

A minha mente é muito séria e confiante nela mesma. Crua, desnorteante, rígida, com regras muito próprias. Ela tem uma voz que dita o que quer que se faça, agora isto, daqui a pouco pode ser o oposto. Tanto me diz que o que fiz estava correcto, como passado uns instantes determina que poderia terContinue a ler “Mind blowing”

Os meus olhos

O que significa para ti quando te questionam sobre algo que possas não ter feito bem? Ou quando alguém te grita? Já paraste para pensar quais as situações que identificas como perigosas para ti? Em que reages de forma defensiva? Sem qualquer espaço para em verdade compreenderes o que está a acontecer. Quais são osContinue a ler “Os meus olhos”

Self Image

Que imagem tens de ti mesmo? Que és uma boa mãe/pai? Que sem ti o mundo não funciona e és muito desenrascada(o)? Que és muito profissional? Que és uma pessoa que escolhe sempre os valores familiares? Que defendes os indefesos, oprimidos e por isso sempre do lado da justiça? Tira um momento e escreve sobreContinue a ler “Self Image”

It sounds like

and what if the Divine was using your rough singularities to create the most beatiful symphony

Bem Vinda

A nossa mente é muito criativa na sua busca para ter razão. Assim se por algum momento existe em nós um sentimento de desvalorização, de tristeza ou de desconforto, criam-se de imediato mil e um cenários em como me poderia sentir mais valorizada e feliz: se fosse mais magra, mais bonita, se tivesse mais dinheiro,Continue a ler “Bem Vinda”

The Way

You cannot change the way it happens You can only change the way you live it

My own conditions

Para eu ser feliz determinei uma lista de coisas a concretizar: – Quero uma casa térrea num outeiro, com uma piscina revestida a pastilha verde esmeralda. Os móveis em madeiras exóticas trabalhados por artesãos na Indonésia, tapetes Bereberes, e por aí fora. – Quero um companheiro nórdico, especificamente da Islândia, daqueles que em fins deContinue a ler “My own conditions”

Waiting for You

E se do outro lado estivesse algo novo à tua espera, novas dinâmicas, desafios diferentes, conseguirias arranca-te do teu lugar comum. Do local onde dormes, onde te alimentas, onde conversas? E se nesta nova vida, quando olhasses apenas existissem incertezas? E se para abrires essa porta fosse necessário lidares de forma amorosa, com aqueles aspectosContinue a ler “Waiting for You”

Contração e Expansão

Existe um grande dilema entre esta coisa de positivo e negativo, de luz e sombra, de passivo e ativo, os dois pratos da balança. Fruto do desconhecimento de como lidar com este dilema, o nosso corpo mental e emocional criam uma vida própria, uma nova pele. Assim se sinto desconforto em ser burra, e ingenuidadeContinue a ler “Contração e Expansão”

The other life

Como se tratasse de uma realidade paralela, a nossa mente cria uma vida centrada nas necessidades deste corpo. E assim a tudo o que nos causa medo, incerteza, insegurança, a mente está ali presente a analisar, a chamar atenção, a relembrar que nós somos o bem mais precioso. E este ruído, esta análise, esta conversa,Continue a ler “The other life”

What Lies Behind

Afinal as irritações, escondem ao certo o quê? Quando aquilo que o outro faz ou diz, me retira do meu sítio calmo e racional, o que está a acontecer? Se o outro te irrita porque parece estar a gozar com a tua burrice, será que consegues ver em que situações não aceitas ou não reconhecesContinue a ler “What Lies Behind”

Opinion Beings

A nossa opinião sobre alguém, originado muitas vezes por um sentimento visceral, cria muitas vezes uma realidade inexistente. Que aquela outra pessoa é má, que aquela outra pessoa é egoísta, que aquela outra pessoa é recalcada e agressiva. E assim pintamos tudo o que dali advém. Se para mim aquela outra pessoa é bondosa, tudoContinue a ler “Opinion Beings”

Love the way you lie

Amo a forma como minto para mim, como acredito em falsas verdades. Amo a forma com crio a minha vida para justificar essas falsas verdades. Amo esta dança e a forma como me vai levar de volta a casa. #Aceitação #Alquimia

Dancing

Sentes este Amor que anda pelo ar? Apercebes-te que o Amor começa em ti, por te amares, por te abrires à experiência? Sentes o carinho com que te aconchegas, com que te proteges, com que experimentas? Apercebes-te desta dança de expansão e retracção, tão viva, tão orgânica e natural? Estás disposta(o) a sair deste teuContinue a ler “Dancing”

Love your space

Amar o nosso espaço. Apreciar todos os cantos que ocupamos, sejam arestas afiadas ou outras já limadas pelo tempo, e não esperar que a vida traga alguém que ocupe metade desse espaço, ou às vezes todo, parece ser uma boa constante para esta equação de felicidade que tanto procuramos. Esta espécie de mantra “Volta aContinue a ler “Love your space”

The Empire State of Loving

E se quando te apercebes que amas alguém ou algo, tomasses consciência que o objecto desse amor é apenas um pensamento. E se quando te apercebes que odeias alguém ou algo, tomasses consciência que o objecto desse ódio se trata apenas de um pensamento. Conseguirias desistir desse pensamento, tornando-te presente e consciente do agora? #Continue a ler “The Empire State of Loving”

Refreshing

E se para te sentires em paz tivesses de desistir de algo? Se afinal essa tua motivação, essa tua resiliência, essa tua perseverantia e teimosia estivesse a funcionar a favor do conflito, das guerras internas, do desconforto, disto a que normalmente identificamos como “existe algo de errado comigo”. E se essa ideia que tens deContinue a ler “Refreshing”

The Opinion Makers

Quando o momento de abrir a boca não é apenas para recuperar fôlego, para nos nutrirmos, mas para emitirmos uma opinião.  Para fazermos ver o nosso ponto de vista, e com uma mala cheia de argumentos, demonstramos com uma lógica emotiva a validade de todas as nossas convicções, das nossas crenças, da forma como fomosContinue a ler “The Opinion Makers”

Estes nós tortuosos

E quando vem aquela dificuldade em lidar com alguém, com certa característica de alguém. Aquela pessoa carente que te está sempre a roubar a tua atenção, aquela pessoa revoltada que quando fala despoleta em ti aquela azia mal resolvida, aquela pessoa manipuladora que se enconde atrás de meias verdades, e por aí fora. E seContinue a ler “Estes nós tortuosos”

Isto que se passa aqui

E vem aquele pensamento invejoso, ciumento, sexista, extremista. E perante aquele pensamento que não gosto,  o meu corpo fica tenso. Afinal eu não me vejo daquela forma, com aqueles valores. Mas e se eu ficar relaxada perante os meus pensamentos. E se eu compreender que não controlo os meus pensamentos. Se eu tiver a humildadeContinue a ler “Isto que se passa aqui”

Os teus conselhos

Quando te apercebes que os conselhos que diriges à outra pessoa, naquele tom de se ela relaxasse e nao fosse tão controlador, se fosse menos teimosa, …, todos os teus conselhos fossem de facto para ti. Já experimentaste fazer isso? Sem stress, sem o peso da autocrítica. Será que afinal és o teu melhor conselheiro?Continue a ler “Os teus conselhos”

Paz

O que te parece que é mais verdade? Que quando falas com o outro estás simplesmente a falar em voz alta para te ouvires, ou que estás a falar para explicares algo/ fazer compreender algo ao outro cujos contornos e vivências apenas tu conheces, apenas tu experienciaste? O que te parece que é mais verdade?Continue a ler “Paz”

O Contra-Peso

Quando te apanhas a intimamente torcer para que o outro não seja feliz, não atinja aquilo que deseja, não concretize algo que pode ser importante para ele, Pára. Sem qualquer autocrítica, ou culpa, simplesmente pára um pouco. E respira. Conseguirias inverter isso, abrir e relaxar o teu corpo para o sucesso e a felicidade doContinue a ler “O Contra-Peso”

Coragem Emocional

Sentes aquele ímpeto, aquela coragem? De enfrentar, de confrontar, de vencer os desafios do mundo? E se a história fosse outra? A de te expores? Sentir-te-ias confortável em mostrares as tuas fragilidades, aquilo pelo qual de emocionas, os teu desejos escondidos? Estarias confortável a expressares afetos? A dedicares o teu tempo, a tua atenção àquelaContinue a ler “Coragem Emocional”

Corpo meu

Suspirámos muitas vezes pelo outro encantado que um dia vai chegar, para que possamos sentir um conforto de complemento. Assim não será uma alma gémea que muitas vezes aguardamos mas de alguém complementar, alguém que preencha aqueles espaços onde não gostamos/ não aceitamos o que somos. Assim a fragilidade quer encontrar a força confiante, aContinue a ler “Corpo meu”

Beijo do Espelho

Esperar que alguém nos salve de nós mesmos, dos dias que acabam por se tornar sempre iguais, do nosso lugar seguro que se torna muitas vezes desconfortável. Procuraremos neste sebastianismo, um encantado beijo que nos desperte para o quão capazes, bons, inteligentes, especiais e muito importantes podemos ser? No entanto para que preciso do outroContinue a ler “Beijo do Espelho”

Estes pais que existem só para nos estragarem a vida

É verdade. Os Pais existem para nos estragarem a vida, aliás é algo que acordam em uníssono quando uma nova criança lhes chega ao colo. É logo ali delineada toda uma complexa estratégia para estragar e danificar o bem estar da criança. São culpados, é isso mesmo, responsáveis por qualquer trauma, carência, falta de amorContinue a ler “Estes pais que existem só para nos estragarem a vida”

O que não me dás

O que quero do outro é atenção, carinho e respeito. E toda a nossa vida nos regemos por estes preceitos. Tudo isto porque nos queremos sentir seguros, acompanhados, que alguém demonstre o quão importantes somos na sua vida. Mas quando isto falha e, não tenho a atenção, carinho e respeito do outro, o que aconteceContinue a ler “O que não me dás”

A Adrenalina Emocional

Há uma adrenalina que percorre o corpo, como uma onda fria. Há os viciados em adrenalina. Existem os estados de excitação emocional, onde o medo, a alegria, a ansiedade, aquele abismo que o corpo percorre quando o chão falta, quando se sente o estômago a ser sugado, podem ser imensamente viciantes. Nada como viver aContinue a ler “A Adrenalina Emocional”

Sexualidade

Sexualidade não é sexo. Sexualidade é a forma como relaxamos perante o que mais prazer nos dá. Assim se tenho uma refeição aprazível, será que tenho tempo para a experienciar, será que naquele momento estou disponível para estar presente para os meus sentidos, permitindo-me que pequenas coisas como o palato ou a sensação física daContinue a ler “Sexualidade”

A Vergonha

A vergonha começa por pequenas coisas, uma timidez velada, um corar quando alguém olha ou fala connosco, aquele nervosismo de quem quer chegar a todo o lado para que tudo corra de feição. São pequenas coisas, como a vergonha de algo em nós que não gostamos (pode ser do nosso corpo), de não sermos suficientementeContinue a ler “A Vergonha”

Ansiedade

A dificuldade de lidar com o desconforto que sentimos, quando algo não está a correr como achamos que deveria estar, quando acredito que não deveria estar em falta com ninguém, quando efectivamente nos debatemos com tudo o que não controlamos. Principalmente com o que os outros pensam de nós. Será que sabem o que euContinue a ler “Ansiedade”

Terra Queimada

Aqui dentro não existe apenas terra verdejante, florida, nutrida e fértil. Existe também terra queimada, devastada pelo desejo de controlo, pela ambição de querer ser algo que não sou, pela frustração que surge. Existe muita liberdade em aceitar que também sou maldade, maledicência, egoísmo e inveja. Reconhecer algo que também sou, relaxa… Assim numa próximaContinue a ler “Terra Queimada”

A Insegurança

E se por detrás do que achas que é a força que te move, existisse sim uma enorme insegurança. Se fosse o medo de não conseguires algo que queres muito, de perderes aquelas pessoas que te fazem sentir um pouco segura e confiante na vida, de não conseguires ser capaz de sobreviver por ti mesma.Continue a ler “A Insegurança”

God, Love & Sex

A nossa gratidão a Deus, a rendição a algo que não compreendemos nem controlámos. A aceitação de que o que o que me está a acontecer agora é exatamente aquilo que necessito e por fim a entrega ao universo da nossa capacidade criativa, da nossa sexualidade omitida e escondida debaixo de conceitos de culpa eContinue a ler “God, Love & Sex”

As Escolhas

E quando o rasto da insegurança nos assola, colocando em causa as nossas escolhas e decisões. Quando alguém te mostra que também és feita de inseguranças, de incertezas, de uma raiva constrita. É esse o momento de aceitar a fragilidade, que nem sempre a vida corre na direcção das nossas expectativas, que errar é umContinue a ler “As Escolhas”

Os sete pecados

E se eu te mentir, e se eu te trair, deixarei de ser eu? E se eu cometer os sete virtuosos pecados, deixarei de ter o meu nome? Ou será que a culpa, o medo de ser algo me afasta de mim mesma? Afinal tudo o que não quero ser, não me deixa ser. #CulpaContinue a ler “Os sete pecados”

Isto de termos de mudar!?

No encontro com o outro, manifesta-se a polaridade. Assim se tu és organizada, eu vou-me perceber onde sou desorganizada! Se tu és decidida e lenta a tomar decisões, eu vou perceber onde sou indecisa e rápida! Se tu és insegura e arrogante, eu vou perceber onde sou segura e humilde. Mas se quiseres aproveitar tudo,Continue a ler “Isto de termos de mudar!?”

Ter medo de…

Tenho medo de uma emoção! Não é propriamente das situações, da realidade, que se tem medo. Mas da emoção que gera em nós, seja tristeza por não termos a atenção de alguém (dos pais, dos irmão, dos amigos, dos colegas de trabalho), seja a raiva por acharmos que já deveríamos saber melhor por nos deixamosContinue a ler “Ter medo de…”

# Me Too

Será que fui má rapariga? Será que não me dei ao respeito? Será que na altura certa não soube reagir? Será que percebemos que a vida tem coisas boas e coisas más, que por vezes abusamos do outro, da disponibilidade dele, do tempo dele muitas vezes com base numa chantagem emocional. Afinal és o meuContinue a ler “# Me Too”

O Tempo pergunta ao Tempo

Embora o desafio seja sempre vivenciar o momento presente em toda a sua potencialidade, seja uma alegria seja uma frustação, o tempo permite-nos perceber as diferenças entre uma postura de observador ou o peso da responsabilidade. Assim se a nossa experiência é hoje de frustação perante um amigo que nos rejeita e amanhã algo igualContinue a ler “O Tempo pergunta ao Tempo”

E se eu fosse o meu amor

E que tal experimentarmos tudo aquilo que achamos que o outro nos deveria trazer? Será que o consigo fazer? Quando quero a atenção do outro, será que consigo estar atenta ao que eu estou a dizer? Quando quero o afeto e carinho do outro, será que consigo dar-me afeto e carinho, através de por exemploContinue a ler “E se eu fosse o meu amor”

O teu GPS

O exercício é o seguinte: E se sempre que falasses com alguém, e por algum motivo ele não tenha compreendido o que lhe disseste, não o corrigisses? Se eu digo que podíamos dividir os custos da viagem e tu me respondes que o teu gps não se costuma enganar, e se eu falo contigo eContinue a ler “O teu GPS”

Embrace it

Nas guerras da nossa vida, carregamos o peso da punição por características que não aceitamos. Assim, a orgulhosa que não torce o braço, a vítima que precisa que os outros se padeçam pelo que lhe acontece, a preguiçosa que não mexe uma palha, a cabra que não está para aturar faltas de respeito, a cínicaContinue a ler “Embrace it”

Me, me & me

Apanho-me muitas vezes a ser pouco generosa com os outros. Assim quando lhes roubo experiências, ou quero sobrepor a minha forma de ver a coisa, ou quando não partilho algo importante da minha vida, estou a ser egoísta mas principalmente pouco generosa. Outras das formas que identifico é quando estou a trabalhar em algo eContinue a ler “Me, me & me”

Olhos nos olhos

Qual a melhor forma de quebrar as barreiras da ilusão? Que tal experimentar olhar directamente as pessoas nos olhos, permanecendo. Conhecidos e desconhecidos. Existe uma névoa que se desfaz, ilusões e expectativas que caem por terra. Há uma honestidade viciante que ganha vida nesse momento, a honestidade de nos mostrarmos ao outro e de vermosContinue a ler “Olhos nos olhos”

Mantra do dia a dia

Acabei de adotar um novo mantra, “Não mates o mensageiro!”. Repito veemente sempre que me assola uma indigestão, uma irritação, uma vontade de ser impetuosa em relação ao outro. Assim, quando me interrompes para fazeres um comentário que não vem ao assunto, paro e oiço.  E repito o mantra, pensando o que tem para mimContinue a ler “Mantra do dia a dia”

Negarmo-nos a Sentir

Querermos negar o Apego que existe em nós. O apego às pessoas, ao carinho das pessoas e à sua companhia, às coisas materiais e ao conforto que nos providenciam. Nessa luta de independência e auto afirmação como ser livre, tomamos muitas vezes o caminho de tratarmos o outro agressivamente porque ele lembra-nos dessa fragilidade. OutrasContinue a ler “Negarmo-nos a Sentir”

Uma relação a três

Muitas vezes afastamo-nos do outro porque achamos que o tratamos mal. E acabamos por trazer a culpa e de seguida a autopunição para a relação, o que nos impedem de relaxar junto dessa pessoa. Assim, se achas que alguma vez tratas-te mal alguém, foste ríspido, agressivo, explodiste, respira e relaxa. Para o outro pode nãoContinue a ler “Uma relação a três”

A via do Corpo

Embora num primeiro olhar poderíamos estar a classificar o cuidado com o corpo, com a beleza do corpo, como algo fútil, uni dimensional e pouco realizador, para mim a experiência tem sido diferente. Efectivamente o crescente aumento de peso que este meu corpo tem vivido levou-me a experimentar estas terapias, de emagrecimento (peso saudável), celuliteContinue a ler “A via do Corpo”

Isto de ter de ouvir

Aprender a ouvir? Quando o que estás a dizer não faz qualquer sentido? Ouvir-te dizer que o Trump é um exemplo a seguir, Que quem está mal é que deve mudar, discorrendo assim uma barbaridade de opiniões. Porque sim, as tuas opiniões mudam o meu mundo! Estás a colocar em causa todas as minhas crençasContinue a ler “Isto de ter de ouvir”

Como começar

Estar em Paz com a vida pode ser traduzido como um estado de rendição a tudo o que acontece connosco. E então como começar? O primeiro passo passa por reconhecermos que somos umas das partes envolvidas nos acontecimentos. Assim se uma criança cai, eu não vi mas estava lá. Se uma relação não funciona, euContinue a ler “Como começar”

%d bloggers like this: