Welcome New Life

E assim aos poucos aquele princípio que rege o mundo, a Impermanência, está aqui bem juntinho, bem próximo. Aconchegada no nosso colo, pronta a ser recebida, embalada, com as nossas mãos, com o ritmo das curvas dos nossos braços.

Algo novo, por estar tão próximo, tão presente, tão físico, tão tocável. E olhamos esta presença com medo, receio, sem saber muito bem como fazer, não fossem os Avatares dos nossos tempos o terem apresentado, o terem tornado familiar, quase cá de casa.

E o medo traz no outro prato da balança o seu grave peso em algo novo, uma certa fluidez, uns novos tons de cores, uma outra forma de aqui estar, assim momento a momento. Pois se soubermos que o dia de amanhã não existe, e isto é uma certeza, o que é para nós importante neste precioso momento.

Allow It

É de pequenas decisões que preenchemos o nosso dia. Agora isto, daqui a pouco aquilo. E é esta a única real força que temos sobre a nossa vida. As nossas decisões. E não quer dizer que estejamos conscientes quando as tomamos.

E que tal experimentar-mos algo novo. Por exemplo aquela voz repetida na cabeça, que naquele dia só se lembra de todas as situações em que achamos que fizemos tudo errado, e se calhar em vez de nos dedicarmos a ouvir esta mente neurótica, nos decidíssemos fazer algo diferente. Ler algo que nos entusiasme, falar com uns amigos, dispensando aquela conversa íntima, inútil, que em nada nos ajuda, ou melhora o nosso dia.

E se normalmente quando alguém rejeita algo que fazemos, e sentimos mágoa e normalmente nos fechamos e afastamos, que tal estender a mão, mantermos-nos presentes, fazer diferente. O que achas que de tão apocalíptico pode acontecer.

E se quando algo que não gostamos acontece, que tal permitirmos-nos recordar de todas as vezes em que correu bem.

E que tal te permitires?

#Aceitação

Broken

Alguma vez te sentiste partida/o, estilhaçada/o pelo chão?

Rendida/o às correntes da vida, que te trazem as evidências de que nada é como supostamente quereríamos que fosse. E que por vezes somos autistas extremosos, convencidos que controlamos o mundo e a Vida. E porque eu quero sofregamente algo que me satisfaça, que me traga paz, algo externo, que utopicamente nunca nos preencherá.

Já te sentiste abandonada/o, deixada/o para trás, preterida/o, só?  Impotente, inábil, incapaz?

E nestes últimos dias, tens percebido a fragilidade que existe aqui dentro? Que continuamos a existir mesmo perante o medo, a incerteza, a constatação de que este planeta vivo e esta Vida se irão manter para lá dos nossos desejos de persistirmos para toda a imortalidade. E que se calhar o conceito de infinito, de cosmos sem fim, com que esta pequena mente se debatia, agora deixa de ser assim tão assustador, tal qual a proximidade a um abismo.

E que esta sensação de estilhaçada/o, de fragilidade, de vulnerabilidade, afinal existe aqui para a vivermos. E que é Ok!

E que não é por a vivenciarmos que o nosso mundo acaba?

Alguma vez te sentiste partida/o, estilhaçada/o pelo chão?

Haven´t we all?

 

#Aceitação #Amor Incondicional #Harmonia

 

Be with Me

O tempo e o espaço parecem estar enlaçados, sem grandes planos a longo termo nem a longa distância.

O bairro, a casa, o quarto passou a ser a distância que medimos, um pouco claustrofobicamente.

As dimensões passaram de ser medidas a semanas, meses, semestres, existindo agora na unidade do dia, da hora e espantemos-nos do minuto.

Os milhares de quilómetros, gomos percorridos da terra, são agora medidos a metros, centímetros e louvemos esta pequena existência do milímetro. Milímetros de pasta dentífrica gasta, de chá e de vinho bebido, de arroz na embalagem, de páginas lidas, de mensagens escritas.

O presente, o momento do agora, está mais próximo, mede-se em fracções de minuto e de milímetro. Está aqui, para estarmos naturalmente com ele.

E embora tudo pareça pequeno, demasiado fácil de alcançar, arrisco dizer que um pouco desprezível, poderemos concordar que deixamos de ser engolidos pela correria de agarrar o próximo semestre longínquo e a seguinte milha digital ou aérea. E o que é palpável, imediato, próximo, real, exequível, junto a mim, aqui mesmo ao meu lado, a uma distância que posso agarrar, passou a estar disponível para mim. e assim também nós para eles.

#Amor Incondicional #Aceitação

Life Commandments

A Vida pede-te que,

Só por hoje faças asneira da grossa. É suposto que o faças!

Só por hoje engana-te e esquece-te das coisas. És Humano!

Só por hoje é permitido libertares a raiva com dois berros, três pratos partidos e 4 portas fora dos eixos. Acontece!

Só por hoje lembra-te que a tua mente paranóica, quer que tudo corra de uma forma que ela te berra que é a correcta! Só porque ela sente uma descarga de adrenalina e de prazer quando isso acontece! E se vires é apenas fruto do medo do que ela não controla, o desconhecido. Uau!!

Só por hoje permite-te! Quando acontecer fazeres merd& lembra-te que é isso que é suposto acontecer. Permite-te abrir-te ao que não controlas.

Muita merd& para ti.

Só por hoje;)