Monthly Archives: Fevereiro 2020

Our World

Qual é a tua realidade?

Que fantasias vivem em nós que nos afastam da realidade?

Eu sou capaz de fantasiar imenso com relacionamentos, com um sucesso profissional que valide as minhas capacidades. Em miúda queria uma família diferente, um grupo de amigos que me acolhesse. E muitas vezes apanho-me nessas viagens alucinantes e para mim o que me ocorre de seguida é

Qual é a minha realidade?

O que é que está efetivamente a acontecer?

E logo que esta fantasia de controlo se desfaz continuo com as perguntas. O que tem de bom para mim a realidade não acontecer como eu quero?

E a primeira coisa de boa que me costuma ocorrer é a de que neste momento acabei por ficar um pouco mais presente para mim. E a segunda é a de questionar o que tenho a aprender com o que está a acontecer?

Expectations vs Reality

Stay In

O meu movimento natural é de contracção, de ir dentro, de parar. E a forma como este movimento se expressa é muito simples, começa com um sentimento de tristeza, que surge do nada. Sem nenhuma justificação, nem teia de argumentos, é mesmo do nada que surge. E logo de seguida a presença racional vem e apresenta-me uma lista de argumentos, desta situação que aconteceu, de alguém que fez isto, de ti mesma que fizeste aquilo.

Quando tenho muita sorte, vem muito intenso, gutural e nasce num grito fundo interno que muitas vezes se expressa no externo, e há um choro enrolado, um dobrar sobre o próprio estômago e depois uma ressaca de uns dias. Isto se tiver sorte. Se não tiver, posso andar que tempos cabisbaixa a tentar tocar no que me torna assim tristonha.

Aos poucos tem existido um movimento contrário, o de abertura, o de abrir-me a essa experiência, sem rejeição da emoção, e cada vez menos interpretações lógicas e racionais do que origina estes ciclos. E assim a emoção vive-se e eu vou dentro, fundo, repousando em águas quentes.

Tenho a dizer que me toca muito a profundidade de algo criado, que vem sempre de um momento introspectivo, parado, dentro, fundo. E depois olho a expansão da obra feita, exposta, partilhada. Tem assim um toque místico, vulnerável, erótico. Eu não consegui resistir.

# Amor Incondicional #Aceitação